segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Liberdade plena, extrema, insólita...


Cada vez mais me convenço de que toda autoridade (externa) é simulacro!!!

Não há autoridade real além daquela que emana do próprio indivíduo!

Talvez pq vários indivíduos sejam covardes e prefiram ser comandados, orientados, conduzidos, mandados (e toda a gama de hediondos verbos cabíveis) os seres humanos até hoje tenham acreditado na ilusão absusrda da representatividade...

Disseram muito melhor que eu e já há muito tempo que, ser governado é ser:

" (...) Guardado à vista, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, regulamentado, parqueado, endoutrinado, predicado, controlado, calculado, apreciado, censurado, comandado por seres que NÃO TÊM NEM O TÍTULO, NEM A CIÊNCIA, NEM A VIRTUDE (...) Ser governado é ser, a cada operação, a cada transação, a cada movimento, notado, registrado, recenseado, tarifado, selado, medido, cotado, avaliado, patenteado, licenciado, autorizado, rotulado, admoestado, impedido, reformado, reenviado, corrigido. É, sob o pretexto da utilidade pública e em nome do interesse geral, ser submetido à contribuição, utilizado, resgatado, explorado, monopolizado, extorquido, pressionado, mistificado, roubado; e depois, à menor resistência, à primeira palavra de queixa, reprimido, multado, vilipendiado, vexado, acossado, maltratado, espancado, desarmado, garroteado, aprisionado, fuzilado, metralhado, julgado, condenado, deportado, sacrificado, vendido, traído, e, no máximo grau, jogado, ridicularizado, ultrajado, desonrado. Eis o governo, eis sua justiça, eis sua moral!"

Quem disse isso foi um grande anarquista, um ser humano cujo compromisso era com sua liberdade, pontos de vista e impressões, Pierre-Joseph Proudhon.

Não posso crer q algum de vc´s, ó leitores, nunca tenha experimentado o sentimento dos pequeninos contra os grandes ou que, no mínimo, um dia, não tenha observado o absurdo de leis que lhe obrigam a cumprir...

Então, é isso!

Aos q perguntam pq eu sou inconformado com certas coisas, aos que perguntam pq eu simplesmente sinto essa "inadequação", a resposta é essa: SOU LIVRE, PENSO POR MIM! DEFENDO ESSES PONTOS DE VISTA E SOFRO, PRA BEM OU MAL, SUAS CONSEQUÊNCIAS!!!

E recomendo que façam o mesmo!

Libertem-se ou ao menos devotem suas vidas a lutar contra o jugo. É mais digno!

9 comentários:

Cams_ disse...

Quem você deixou puto para escrever esse post? Não sei pq o texto tá com uma cara de "eu sou assim e vocês tem que me engolir", como se fosse uma indireta pra alguém que ficou chateado com você. To falando merda? =P
Olha, vou falar abertamente, eu só tenho um problema com o anarquismo (e, logo, com anarquistas) e posso resumi-lo em apenas uma palavra: MORAL.
Qualquer dúvida (ou se quiser mais um dos nossos calorosos e endless debates) you know where to find me.
Beijos amigo-anarquista! Até amanhã!

PS: A Silvana fez um blog tb! Ela deve passar pra vocês depois.

Mind Tempest disse...

Sou mais ou menos da mesma opinião da Camila... liberdade é bacana até onde não envolva ou prejudique o próximo, ou seja, moral. Mas, de qualquer forma, bom post...

Hasta!

DEEP disse...

Ah, talvez a Cams tenha razão na parte da motivação...
Mas não necessáriamente alguém. Está mais pra uma conjuntura mesmo...

Bem, vc´s sabem, eu estou fazendo a mono sobre Anarquia Internacional e suas implicações.

Quanto a isso, penso como Waltz, é um dado estrutural do Sistema Internacional e ponto.

E é claro q o anarquismo clássico não se liga com essa nossa acepção de bacharéis, né? MAS, no livro que me caiu às mãos, há uma parte que fala do uso do termo anarquia ao longo dos tempos - o tal do AN + ARKÓS, do grego (estratégie, hahahaha - ok! Não pude resistir!!!) que significava pra eles sem cabeça, acéfalo, sem comando, sem hierarquia mas tb indicava autonômo, ou seja, sem necessidade de governo, de hierarquia e por aí vai.


Isso nos leva ao que eu quis dizer com o post! Mais do que irritar alguém, dar satisfação ou muito menos me explicar, eu quis lembrar que a situação de anarquia não é pejorativa, não é negativa. Justamente por ter sido associada a essa negatividade as pessoas, ao ouvir essa palavra, dão um salto, têm medo, rejeitam...

E é contra isso q eu luto!

Pq? Pq, pôxa, o sistema anárquico transfere pra vc a decisão! Transfere pra vc a decisão E a responsabilidade (no fundo, com governo ou sem, é e continua assim) mas, com governo, com hierarquias, há constrangimentos, sempre!

Como vc´s disseram, o ponto recai na moral! Mas, existem indivíduos com outros parâmetros, outros critérios, e eles não são necessáriamente imorais. Eles apenas se pautam por outras leis. Ou seja, admitem constrangimentos diferentes. (problema mesmo temos com os amorais, que nem moral têm, admitem ou lhes toca...)

No nosso caso, por exemplo: Eu, q sou um pouco mais não-convecional que vc´s - hahaha, adorei essa! - não tenho uma moral assim tão rígida para certas coisas q vc´s acham nobres e elevadas, mas tenho para outras que vc´s acham utópicas... E é assim mesmo! Deve ser assim! A diferença e a diversidade, apesar de construírem quadros complexos, enchem o universo de beleza!

Então, a luta, de fato, é contra a universalização! (olha o paradoxo!)
Pq se existe uma lei, um governo, qualquer coisa que venha de fora do indivíduo, que não passe por sua consciência mas que lhe seja imposta - e todo governo tem sempre à mão armas, exércitos, polícias e todo aparato repressor - há de ser encarada não como uma coisa natural, não como um padrão moral, mas sim como uma violência!

Afinal, se existe lei mas ela não convence o indivíduo é exatamente nesse ponto q ela falha! E aí, em vez de buscar um consenso, em vez de buscar o convencimento desse indivíduo, a arbitrariedade sempre acha mais interessante e fácil calá-lo, violentá-lo, eliminá-lo...

Ou criar padrões morais q lhes são apresentados e cobrados!

Deus é um bom exemplo - e olha q eu creio em DEUS hein! Que fique claro! - Mas esse conceito, foi manipulado ao longo dos séculos pra incutir culpa na mente dos homens, pra impregnar seus corações de medo, lançar-lhes dúvidas e assim, fazer com que eles temessem exercer a liberdade que lhes foi dada pelo Criador.

Engraçado, né?

E por isso eu não aceito essa idéia! Não existe uma única moral! Um único padrão q valha pra todo o universo! Pra ser assim essa coisa exige um aparato que a faça valer. É portanto, artificial e impositiva, sempre!

Mas, é claro, justo pq não quero universalizar nada, eu acho mesmo q vc´s têm o direito e o dever de discordar caso não sintam como eu!

Se nós todos nos respeitarmos como indivíduos, como portadores de um processo em curso - um caminho para a felicidade por meio da liberdade - puxa, nosso universo será o mais belo!

Falou, Valeu!

Cams_ disse...

É que meus posts são que nem a roupa azul do rei: só os inteligentes conseguem ver!

=D

Foi malz a piadinha amigo, tive que mandar essa! Acho que você não entendeu simplesmente pq não tinha nada pra entender, coisa mais sem conteúdo que aquilo não existe!
Deixa eu ir lá voltar a estudar para minha segunda chamada de integração. Será que esse cara vai me ferrar hein?

Sil disse...

Primeiramente, deixa eu comentar... Concordo em muitos pontos com o seu post, mas, acredita que as coisas realmente seriam melhores aos olhos dos anarquistas? Tá certo que a oposição e as idéias contrárias são sempre bem vindas porque acrescenta, melhora, inova e aprimora. É assim que as a nossa sociedade evolui.

Agora, gostaria de agradecer a sua visita ao meu blog! Adorei! E obrigada pelas palavras de incentivo. Vc tem razão quando fala que estamos na metade do caminho da nossa vida e que as coisas agora vão melhorar mais ainda! Saiba que desejo o mesmo e acho que vc já sabe que você vai longe, como toda pessoa que se propõe a fazer as coisas bem feitas e com entusiasmo!

Obrigada e... como não poderia deixar de dizer: falou, valeu!
:)

Cams_ disse...

Ow, olha só, dexei um comentário do blog do Mind Tempest!!! Da uma olhada lá e ve se gosta da idéia. =D

DEEP disse...

Então Sil, nova blogueira do pedaço...

Eu acho sim!
Acho q num ambiente anarquista os conflitos, que são natuaris, surgiriam naturalmente e se desenrolariam naturalmente...

Acredito inclusive que - sendo quase Habermasiano nisso - com o tempo, os agente iriam perceber que o conflito puro e simples não é a melhor alternativa e iriam cooperar.

De certo modo é oq ocorre hj com a humanidade. Ainda há conflito, sempre vai haver. MAS a grande maioria das pessoas entende q esse recurso não é o melhor e não incluem essa possibilidade em suas agendas como primeira opção!!!

A minha crítica se dirige à construção de ordens artificiais. Afinal, a ordem existente no universo é anárquica com as partículas se chocando, com os elétrons buscando fugir como podem da força de atração dos núcleos e é justamente dessa ausência de governo, que surge isso tudo que há.

No fundo, é como um ponto de vista liberal. Acredito mesmo q "daixando rolar" as coisas acabarão pos ajustar-se!!!

Mas acho errado criar ordens e modelos que não abram espaço para discordância. Pior do que isso, ordens e modelos que vejam a discordância como uma falha moral, como um pecado, como um erro.

E aí, pra continuar sendo "A ORDEM" acaba tendo de apelar e usar de violência.

Quer dizer, se chegamos num ponto assim é pq a ordem falhou, não acha?

Pra mim, isso é a má fé inerente desse "arranjos".

A ordem só beneficia os "burgueses" que dela se beneficiam! Mas aqui não estamos falando de modos de produção! Estamos falando dos acomodados que acham legal manter o sistema de valores que encontram pq nunca tiveram ousadia e criatividade pra buscar o novo.

Por exemplo... Eu q sou hetero sempre achei absurdo alguém ser gay!!!
A "ordem" me favorecia!
MAs, se todos forem livres mesmo, quê importa essa "ordem"???

Vai surgir uma nova! Com mais tolerância, com mais individualidade, com mais respeito tb pq a intereção entre as pessoas é inevitável!

Se todos os médicos fossem gays, por exemplo, os preconceituosos iam demorar só uma gripe pra mudar de idéia. Ou seja, iam levar só o tempo de precisarem do outro, gay ou não.

A briqa, no fundo, é por reconhecimento!!! (e tome Alex Wendt!!!)

Enquanto as ordens querem deixar tudo igual pra poderem reconhecer apenas uma única coisa, os progressitas querem o reconhecimentos das novas categorias que surgem o tempo todo!

Todo sistema de classificações uma hora ou outra se depara com o inclassificável!

Aí, ou descaracteriza o treco, ou cira uma nova categoria pra se adaptar ou simplesmente nega o fato e deixa o treco de fora!

As 'ordens" buscam parar no tempo e o tempo simplesmente não pára!

Obrigado pelos comenários!

Ah, cams, eu vou lpa ler sim!
Valeu!

Cams_ disse...

DEEP, pq vc não cria uma sessão no seu blog de "Respondendo os comentários"???????? Cada resposta sua aqui da um mini-post até que interessante (pq, pra variar, não concordamos em quase nada! Normal quando duas pessoas inteligentes se relacionam - gostou dessa?). =D

Think about it!

Odele Souza disse...

Deep,
Muito bom o seu texto.
Obrigada pelo excelente comentário que você deixou hoje no blog Flavia, Vivendo em Coma, de minha filha Flavia.
Um abraço.