quarta-feira, 22 de agosto de 2007

E com VC´s... CULTURA ORIENTAL!!!

Isso aqui um dia foi o Projeto Crossover – Parte 1

Deep, Cams e Mind Tempest resolveram se aventurar juntos pelo mundo dos blogs.

Que surgiu Durante uma palestra bem mais ou menos da semana de Relações Internacionais em que DEEP sugeriu algo que depois chamamos de Projeto Crossover, que consiste em: cada um de nós escreveria um post sobre o mesmo tema, mas esses posts não seriam publicados em seus respectivos blogs e sim nos dos outros.

Nessa primeira edição, o INSIDE THE DEEP tem o enorme prazer de publicar o texto escrito por MIND.

Mas acontece que hj o INSIDE já não mais pensa assim. Inclusive, a restrição é estética mais do que substancial...


O meu texto (do Deep) foi publicado no blog FRANJAS NA TESTA, da CAMS, cujo link se encontra ao lado. (e de onde eu "capturei" o texto original. Visitem e Comentem!

Profanando o projeto ou não eu preferi recuperar o texto e disponibilizá-lo aqui mesmo.

Falou, Valeu!
____________________________________________
PQ ARTE MARCIAL???



Sensei Ueshiba criador do AIKIDO já em idade avançado demonstrando total controle de si e de seu oponente.

Marcial do Lat. martiale significa entre outras coisas
adj. 2 gén.,relativo à guerra;bélico;belicoso;relativo a militares ou a guerreiros;

Arte do Lat. arte
s. f.,conjunto de preceitos ou regras para bem dizer ou fazer qualquer coisa;tratado, livro que contém esses preceitos;artifício;ardil;faculdade;talento;habilidade;ofício;profissão;indústria;diabrura.

A partir daí, é possivel dizer que Arte Marcial também significa "Habilidades de Guerra" ou "Talento Bélico".

Ok! Isso é uma das coisas q saiu na comunidade Estudos Sobre Artes Marciais da qual participo no orkut! Mas eu treino tb! Na vida real! Que fique claro!

Bem, as pessoas em geral têm dificuldade para entender como é possível a harmonia entre termos tão diferentes, arte e marcial!

É uma necessidade humana! O ser humano precisa expressar-se! Para isso cria o belo, mas, também, precisa expressar sua fúria, vez ou outra. E pra isso cria – ou dá vazão – à marcialidade.

Aprender um determinado estilo de luta é como aprender uma língua estrangeira, com suas regras, usos, possibilidades e limites.

A forma final da arte em questão depende de características diversas... Culturais, geográficas e biológicas. Determinados povos, tinham menor estatura e criaram movimentos q faziam disso uma vantagem. Outros povos eram mais robustos e criaram estilos q se apoiaram nessa característica física.

No esforço para compreender e dominar o próprio corpo, mente e espírito – sim em todos os casos a arte marcial trata disso, auto-conhecimento, auto-controle e auto-superação – os homens e mulheres buscaram sempre a observação.

Um estilo muito famoso, criado por uma mulher, que eu pratiquei por um tempo, chama-se Ving Tsun. O nome origina-se do nome dela (é chinês mas soa algo como Winnie Tsun). A lenda diz q essa moça foi prometida em casamento a um comerciante do qual não gostava! Uma monja qdo a viu triste ensinou-lhe a lutar para q ela pudesse vencer o comerciante e assim, não ser obrigada a casar com ele. Pois bem, ela aprendeu os fundamentos de luta e certa vez observou a luta – pela sobrevivência – entre uma cobra e uma garça. Dessa observação ela cunhou um estilo q se utiliza de movimentos econômicos mas vigorosos, ataques em linha reta, em espaços curtos, para gente de estatura menor, como a dela. O Ving Tsun pode ser visto em toda sua excelência nos diversos filmes do Jet Li q desde criança pratica e é campeão da modalidade!

Como arte, a marcialidade admite sempre esse tipo de lirismo! Vários estilos chineses fazem menção a animais. Estilos da garça, do tigre, da cobra, do macaco, do Louva-a-Deus, entre outros... Não rtaro lendas são utilizadas para evidenciar aos praticantes verdades complexas observadas ao longo da vida de treinos e estudos dos grandes mestres.

É interessante dizer tb q não existe melhor estilo de luta! Existe sim melhor lutador! Aquele q melhor se compreende, que melhor compreende o outro, que melhor se adapta às mudanças bruscas e letais q o combate apresenta e mantém-se calmo, raciocinando e eficiente e se supera, esse com certeza será o vencedor!

Trata-se de avaliação! Saber oq se tem à disposição e oq é possível fazer...

Mas, em se tratando de arte e, como tal, tratando-se de expressão é muito comum q os lutadores entrem em fluxo, que atinjam um estado mental em q não pensem exatamente nos movimentos q estão realizando, mas q os façam por reconhecerem com sua memória muscular e cinética quais movimentos são os mais adequados àqueles momentos.

Ok! Essa é a parte bela, filosófica e doutrinária da arte marcial. Mas há, é claro, o lado bélico, marcial e efetivo! Ora, trata-se de defesa de valores! Garantia da sobrevivência, território, prole, defesa de recursos, defesa de terceiros, defesa da honra e demais percepções...

A luta é um momento crítico! Deve ser evitada, mas nunca negligenciada! Há todo momento é possível q ela ocorra e os resultados decorrentes disso podem ser terríveis!

Então, como encarar algo assim tão extremo?

Ora, os lutadores e artistas marciais aprendem a conviver com isso e de tanto vivenciarem situações assim acabam entendo e aceitando essa transitoriedade das coisas! Abraçam a morte como irmã! Parece estranho, não? Mas isso é uma prática presente no conceito de ZEN. A idéia é q se aceite, como algo natural, a existência tanto da vida, qto da morte. Tudo gera o seu contrário e assim, uma energia flui para a outra. Vida e morte; morte e vida. Não importam mais esses momentos críticos e extremos e sim a conduta q se tem entre um momento e outro! Importa mais o fluxo entre eles. É complexo? Bem, nem tanto... De um modo grosseiro, mas aplicável, trata-se de perceber a morte como parte da vida, e entender, aceitar e praticar q a vida, pra ser vivida em sua plenitude, não pode aceitar restrições q surjam de algo q lhe é inerente. Ao compreender isso o guerreiro coloca-se num ponto além da vida e da morte, transcende! E mesmo q ele se encontre diante da morte ele não deixará de viver ou de agir de acordo com seus valores e convicções!


Não é algo fácil!

Isso me leva a outros benefícios q as Artes Marciais podem trazer a seus praticantes. Fora o lado óbvio do adestramento do corpo a luta traz tb a possibilidade de testar a si mesmo, de colocar-se em situações extremas e observar suas reações e respostas. E isso faz com q vc aprenda muito sobre vc mesmo. E, claro, sobre os outros!

A maioria das Artes Marciais, a despeito de toda a reverência e tradição que ainda cultuam, se modernizou. Isso incluiu a inevitável esportivização de muitas práticas marciais. Por um lado isso é ótimo, eu mesmo sou um defensor das competições. Fui competidor! Adoro competir! Ganhei umas, perdi algumas mas sempre fui um adversário digno e honrado! No TKD, que pratico, não há inimigos... Seu adversário é sempre visto como um parceiro involuntário... De certo modo a sua luta depende da dele! Os movimentos dele condicionam suas chances, então, há uma parceria!

O bom do esporte é poder testar, em ambiente real e não cooperativo (por mais q não sejam inimigos, os dois querem ganhar!) as suas habilidades! A adrenalina é incrível qdo vc tem de entrar na arena, dojan, como chamamos em coreano!

Além disso, a luta sempre foi metáfora da vida! A todo momentos se nos mostram nossas fragilidades e nossa finitude.

A busca marcial é pela perfeição! Buscamos o tempo todo o movimento perfeito, o golpe perfeito, a esquiva perfeita, a estratégia perfeita pq dessa perfeição depende a vida! Então, para q se viva uma vida perfeita é preciso estar atento a vários níveis de ações, a vários movimentos q se conjugam para gerar aquilo q pode vir a ser perfeito. E a vida é perfeita! A natureza é perfeita!

Então, respondendo, pq Arte Marcial???

Pq aperfeiçoa a mente, o corpo e o espírito!

É pouco?


Chute chamado ap tchaguy no TKD, aplicado com a chamada bola do pe, a parte dura imediatamente após os dedos desferido contra o ventre do adversário.

7 comentários:

DEEP disse...

Saudosista!!!
Mas ótimo post Gabriel!
Até u lembrei aqui da minahs época de Bee Games e intermináveis rodadas de Road Rash (q eu peguei o emulador e jogo até hj!!!)!

Muito bom!

Eu nunca tive muita paciência pra ficar dias e dias detonando jogos, logo eles me irritavam! Eu preferia atividades outdor mas meu primo era louco por isso e eu era o escalado da família pra fazê-lo jogar bola! hahaha

E e projeto CROSSOVER me deu a chance de postar em meu prórpio Blog como leitor! Gostei dessa!

Valeu Galera!
Falou, Valeu!

Mind Tempest disse...

Pois é cara! Saudosismo e nostalgia foram as palavras do dia! Que massa que você curtiu o texto e por falar nisso, to indo lá no blog da Cams_ ler o seu!

Valeu, Falou!

Ferdi disse...

Opa!

Rapá, ainda não tive tempo de ler seu blog (ou o da cams, do mind, ou o meu, ou qqer coisa que tenha letras) ma já gostei de cara... ta favoritado!

Mto interessante este skema do crossover... hum... mto bom...

to entrando aki so pra mandar um abraço! Assim que tiver temnpo apareço! Abrásss!!!

Cams_ disse...

Hahahahaha! Nossa, esse texto me fez lembrar dos finais de semana que eu ia dormir na casa do meu primo Guilherme e passavamos horas brincando nesse nintendo. Bom demais! Nunca viramos a noite nem um dia inteiro fazendo isso (brincar com a galera em baixo do bloco era massa tb), mas com certeza esses jogos deixaram saudade.
Ow, vc ainda tem nintendo??? Funciona??? Bora jogar, po!!!! Marca um dia ai e me chama! Vc tem aquele antigao das Tartarugas ninjas????? =D

Mind Tempest disse...

Eu ainda tenho o SNES, o Nitendo 64 e se não engano, perdido por aí, o Turbo Game, que é o Nintendinho 8 bits! Ué, vamos marcar sim, esse jogo das Tartarugas Ninja eu nunca tive, mas cheguei a ter o Battletoads, que era de uns sapos lutadoreas! Era da hora! hahaha

DEEP disse...

Esse das tartarugas ninja q vc diz Cams é um dos primeiros jogos a utilizarem movimentação 360º na tela, né? Se for esse q eu estou pensando é muito bom! Gráficos bem feitos inclusive! E tem uma fase q eu não sei se é a final em q os personagens ficam de frente para a tela, como se o "chefão" estivesse no lugar onde estão os jogadores! E eles vão lutando e dão uns golpes (o tomoinague* era um deles) que atiram os soldadinhos adversário na tela e qdo isso ocorre eles atingem o chefão! Era maneiro! Esse eu gostaria de jogar! F-zero tb! Vc tem Mind?
Falou, Valeu!
___________________________________
*Tomoinague: golpe de judô, Vc espera q o adversário avance, segura-o pelos braços, encaixa um pé no seu quadril, ou barriga, deita pra trás à medida em q ele avança e lança-o para trás! É lindo!!! E FUNCIONA!

Anônimo disse...

Por que nao:)